Este Blog
Este Blog
 
 
 
 

01/06/2013

A Parati mais cheia de charme da Casa Turquesa

A fachada da Casa Turquesa: como se fosse mais uma das tantas casinhas encantadoras da cidade

Há exatamente uma semana, eu tinha escapado da correria paulista e dos frilas acumulados para passar um delicioso final de semana entre amigos em Parati (ou Paraty, como a cidade tem divulgado nos últimos anos novamente), um dos lugares mais autênticos e encantadores opção binária que já conheci no planeta. Sempre gostei da cidade e sempre indiquei o destino, sobretudo a estrangeiros que me pedem indicação de que lugares especiais conhecer no Brasil (acho pedidaça, ainda mais como parte de uma viagem pela Rio-Santos, que considero a estrada mais bonita do Brasil).
As adoráveis baleeiras de Parati
 Além de linda arquitetônica e naturalmente, Parati também sempre foi uma das grandes rainhas da cultura nacional, com uma série de festivais populares, de festival gastronômico à celebrada e internacional FLIP.  No último final de semana de maio, estive novamente na cidade e pude participar, ainda que sob chuva durante a noite, de um festival ao qual eu ainda não tinha me juntado: o Bourbon, o festival de jazz da cidade, com uma série de apresentações gratuitas ao longo do dia espalhadas por Parati.

 Mas mais especial ainda que o festival em si, e o ma-ra-vi-lho-so passeio de barco que fiz com os amigos num sábado lindo e operações binárias ensolarado pela baía de Parati (anote aí: o barco Brulu, do mestre Daniel, tem roteiro, serviço e trilha sonora excelentes), foi ter o prazer de me hospedar, enfim, numa das mais premiadas pousadas brasileiras.
 Casa Turquesa é, de fato, uma pousada singular. Uma pousada de alto luxo que já no seu primeiro ano de funcionamento abocanhou um prêmio de melhor pousada do Brasil. Hoje, passados cinco anos, continua sendo referência em hotelaria de charme para brasileiros e estrangeiros que buscam uma acomodação de altíssimo nível numa das mais charmosas cidades brasileiras.
A adorável suíte verde, onde fiquei
 Foi ali, bem pertinho do píer de onde saem as tradicionais e coloridíssimas baleeiras que levam turistas todo dia para conhecer as belezas da baía de Parati, que Tetê Etrusco, a esfuziante proprietária que é corpo e alma da pousada (te faz se sentir em casa em minutos), decidiu abrir o que é opções binarias a propriedade inspirada em sua paixão pelo Mediterrâneo. É dessa paixão também que vem o nome Turquesa, cor presente na fachada, nas havaianas entregues no check in aos hóspedes e até no drink da casa.  


 São apenas 9 suítes, cada uma decorada com uma cor e mobílias diferentes (e wifi grátis, é claro), compondo a charmosa casa colonial que ainda conta com obras de arte espalhadas por todas as áreas comuns, piscina, bar, boutique e um serviço de concierge informal e acolhedor, como se você estivesse hospedado na casa de amigos queridos na praia. 
As havaianas entregues para todos os hóspedes no check in
Detalhes tão brasileiros e tão encantadores em toda parte
 O clima relax, presente de cara nas havaianas turquesa com que todos circulam dentro da casa e na ausência de menores de 14 anos, fica óbvio também nos mimos diários nos quartos e no preguiçoso café da manhã servido na hora que o hóspede acordar, literalmente. E isso tudo contando com pão de queijo quentinho, tapioca, rabanadas e outras delícias tipicamente brasileiras, todas feitas ali mesmo, pela dedicada cozinha da casa – que, aliás, acaba de ganhar um lindo livro de receitas à venda na boutique da pousada.
A biblioteca é um dos espaços mais aconchegantes da casa
Café da manhã ao ar livre
O visual low profile da pequena piscina de dia...
... e de noite
Os sapatos dos hóspedes à entrada da pousada, já que todo mundo circula de havaianas turquesa por lá ;)
 O ambiente é tão sedutor que, no final de semana em que estive lá, um casal de americanos que deveria ficar apenas duas noites na cidade, mudou seus planos seguintes para ficar mais duas noites hospedados na pousada pela qual se apaixonaram.
Mimo personalizado no check out
Café da manhã à la carte na hora que a gente acorda
O fofo livro ilustrado de receitas da Casa Turquesa: para levar pra casa
Tem uma escapada romântica pela frente e queria investir alto em algo muito especial e exclusivo? Vai por mim: voltei apaixonada pelo lugar. 

30/05/2013

Compras em Orlando

Se nos parques em Orlando eu encontrei menos brasileiros do que esperava no comecinho de maio passado, com os malls e outlets aconteceu exatamente o oposto: em lugares como o Mall at Millenia e nos Premium Oulets a  quantidade de brasileiros passeando, comprando e até vendendo era impressionantemente grande.
Fiquei surpresa em ver como os brasileiros compram de forma organizada por lá: todo mundo que eu encontrei tinha lista de produtos, lojas e preços em mãos, e a maioria já chegava aos shoppings sabendo exatamente em que lojas ir e o que comprar. Eu, que não tinha nenhuma compra em mente e fiz só umas compritas eventuais devido a ofertas que encontrei em algumas lojas, me senti praticamente um ET por lá :)
Sou uma figura esquisitinha e não curto muito shopping centers. Gosto de compras ocasionais, daquelas que acontecem quando a gente está passeando, vê uma loja, entra, gosta de algumas coisinhas, compra e tchau. E, em geral, prefiro lojas de rua mesmo. Eu era tão ET em Orlando que fui ao Wallmart ver se havia ofertas de malas - lotaaaaaaaaaaaaaado de brasileiros à noite - e saí do local com um único pacote de Reese´s em mãos, ju-ro. Mesmo assim, visitei alguns dos shoppings mais procurados pelos brasileiros, como Premium Oulets e o The Mall at Millenia com sucesso ;)
O hall central do Mall at Millenia
 No The Mall at Millenia cheguei bem cedinho, com o shopping abrindo, o que foi ótimo: pouquíssima gente, lojas e corredores vazios, uma maravilha. Fiquei muito bem impressionada com o shopping: bonito, super limpo (inclusive nos banheiros, impecáveis), ótimos restaurantes (praça de alimentação com fast food mas também vários à la carte, como o Brio) e com uma variedade de lojas louvável. Tem um corredor do luxo, com as big brands, mas tem também várias lojas populares - eles definem seu target como "from Gap to Gucci" :)  E tem AppleStore também, a loja mais visitada por brasileiros ali.
Para quem tem filhos: a Disney Store dos Premium Outlets é mesmo bem mais em conta que as lojas dos parques
Dos dois Premium Outlets da cidade, o da International Drive é o maior. Em formato horizontal, com os corredores ao ar livre, é agradável para caminhar. A vantagem do shopping (menos bonito e muito mais cheio que o Millenia) é mesmo o fato de ter lojas de outlet, com produtos de coleções passadas a preços bem baixos (a loja da Samsonite foi a única das que entrei que não vi descontos significativos nas peças). Aproveitando as araras e setores de desconto nas lojas (não são raras as araras de roupas "75% off"),  e com paciência de Jó, dá pra achar umas barbadas mesmo (até eu me rendi e fiz uma comprinha histórica na Ralph Lauren - 5 blusinhas + 1 saia rendada de festa por menos de US$25 no total). Ali as lojas mais procuradas pelos brasileiros são Puma, Victoria Secret´s, Nike e Michael Kors (affe).
Corredores ao ar livre no Premium Outlet da International Drive
Para comprar as bobageiras nossas de cada dia - cosméticos básicos, chocolates, chicletes etc - continuo achando os Wallgreen´s da vida os melhores.

Uma dica legal, seja para shopaholics ou compradores eventuais, é imprimir grátis um Orlando Magicard no site do Visit Orlando. O cartão dá desconto em vários hotéis, restaurantes e shoppings - como os Premium Outlets e o The Mall at Millenia, citados aqui (e também no gigante The Florida Mall). É só apresentar o cartãozinho no atendimento ao cliente do shopping para ganhar uma sacolinha com o cupom de descontos e promoções nas lojas indicadas. 

29/05/2013

Orlando e os parques

 Minha estreia nos parques de Orlando foi até que bem completinha. Corrida (como já contei a vocês, pois se tratava de uma viagem a trabalho), acabamos visitando dois parques por dia, entre diversos outros compromissos na cidade, durante 3 dias. Mas foi bom para ter uma ideia geral sobre o funcionamento geral, as atrações mais disputadas e, claro, como tirar o melhor proveito de cada um.
As visitas aos parques foram todas técnicas e expressas, só para entender mesmo a dinâmica de cada um, a divisão de atrações por setores temáticos, a estrutura, essas coisas. E choveu, choveu muuuuuuuito durante as visitas. Mas em todos eles, é claro, conseguimos experimentar um ou outro brinquedo.
 DISNEY
Da Disneyworld, visitei o Magic Kingdom - clássico e gracinha! - e o Hollywood Studios, que eu adorei (cenários lindos, simuladores ótimos). Antes de chegar ao Magic Kingdom, ainda conseguimos passar pelo Exotic Driving Experience, que também faz parte do complexo: ali o passeio mais comum é ir de passageiro pelo mini-circuito de velocidade montado ali (foi o que fiz, US$99) em um dos "super carros" disponíveis (Ferrari, Audi, Porsche e Lamborghini). O passeio é bem curtinho (menos de dez minutos) e não há nenhum tipo de acrobacia ou grande emoção no trajeto feito pelo piloto; é mais pela experiência de andar num carrão chegando a 100mph em 7 secundos :P  (quem quiser dirigir um dos carros também pode, mas daí a experiência é bem mais cara).

 O Magic Kingdom, como o nome diz, é mesmo o grande detentor da "magia" dos parques de Orlando. Você caminha o tempo inteiro entre meninas vestidas de princesas, meninos vestidos de Woody e gente de TODAS as idades vestindo bonés ou tiaras com orelhas do Mickey, uma fofura. A infra do parque é excelente para quem vai com crianças - sobretudo na Fantasyland, que foi mesmo pensada para os pequenos. Não almocei no novíssimo Be Our Guest Restaurant mas pude ver que ficou lindão. E ainda rola uma infinidade de shows ao longo do dia. Mas os grandes também se divertem, é claro; fui feliz da vida na árdua tarefa de "testar" a Space Mountain e a Big Thunder Mountain :P


As orelhas estão por toooooda parte...
... assim como as princesas ;)
O banheiro feminino

Gente que entrou no clima!
 Já o Hollywood Studios conquista mais os maiorzinhos e, sobretudo, os fãs de cinema. Impossível não ficar encantado com a riqueza de detalhes nos cenários que eles reconstruíram ali. Consegui ir de novo no meu brinquedo favorito da vez que visitei a Eurodisney (há milênios), a Rock´n´Roller Coater do Aerosmith, e também na The Twilight Zone Tower of Terror. Depois bati o pé no chão igual criancinha para que me dessem tempo para pelo menos uma atraçãozinha dos meus adorados Star Wars (a série é um clássico na minha família!) e me diverti no ótimo simulador do Star Tours. Ainda deu tempo de saborear uma refeição de verdade bem boa no lotaaaaado Brown Derby e assistir, debaixo de muita chuva, o fofíssimo espetáculo de som e luzes Fantasmic. Vale saber que o área do Star Tours foi modernizada (updated, como eles dizem por lá) e faz tanto sucesso que rolam boatos de que com a saga agora nas mãos da Disney, surja um novo parque temático aí.


 Eu já conhecia os parques da Eurodisney, que visitei há muitos anos (exatamente os mesmos, Magic Kingdom e Hollywood Studios). Mas na magnitude dos parques de Orlando, a infra da Disney fica mesmo ainda mais espetacular: chovia muito e, mesmo assim, não se via poças d´agua acumuladas ou sujeira no chão. Há "estacionamentos" para os carrinhos de bebê em toda parte, lixeiras fartamente distribuídas, kiosques de alimentação em todo canto. E o FASTPASS, gratuito, quebra um galhãaaaaao na hora de visitar as atrações mais concorridas, sem precisar ficar um tempão na fila.
A gente testemunha encontros lindos, o tempo todo
Entrei na fila para tirar foto com o Mickey, ofcoursemente :D
Numa das noites, eu e duas amigas fomos à Downtown Disney e, mesmo com toda a chuva, nos divertimos muito xereteando as lojinhas dali (eu me segurei para não comprar a série Star Wars da loja do Lego, confesso). Além das lojas, uma área extensa cheia de restaurantes, barzinhos e até night clubs que viram uma mão na roda, pela proximidade, pro pessoal que se hospeda dentro do complexo (mesmo para quem fica hospedado fora, como era meu caso, é fácil e barato ir e voltar em táxi e há estacionamento logo à entrada da "downtown" para quem vai em carro alugado).

 UNIVERSAL
Os parques da Universal Orlando Resort são os queridinhos de quem curte brinquedos mais cheios de aventura. No dia seguinte, visitei tanto o Islands of Adventure quanto os Universal Studios debaixo de muita, muuuuuuuuita chuva.
A "avenidona" cheia de bares, lojas e restaurantes da entrada dos parques
 Chovia tanto, mas tanto, que nem deu para curtir tanto o visual como eu esperava no (lindo!) The Wizarding World of Harry Potter do Islands of Adventure.   Mas fiz questão de experimentar (e repetir! hehehe) o adorável simulador Harry and the Forbidden Journey - melhor simulador EVER pra mim. Também curti muito a montanha russa Dragon Challenge. E experimentei a butter beer mas, ó, não gostei nada daquela mistura de guaraná com marshmallow.

As famigeradas cervejas amanteigadas
 Ainda no Islands of Adventure, fui no também ótimo simulador The Amazing Adventures of Spider Man.
Depois, já nos Universal Studios, que são um de-lei-te para fãs de cinema, os shows infelizmente foram cancelados por causa da chuva muita forte. Mas conseguimos conhecer o mais novo 3D do parque, o "Despicable Me", e me joguei na óooooooootEma Hollywood Rip Ride Rockit, a sensacional montanha russa que já começa com uma subida a 90 graus mas com a trilha sonora que você mesmo escolhe <3 p="">
Tá bom de montanha russa pra vocês? ;)

Cenários lindos espalhados pelo parque
 Também deu tempo de entrar em duas outras atrações que adorei -  o Revenge of the Mummy e o divertidíssimo The Simpsons Ride (deve vir uma aérea temática só deles por aí) - e ainda aproveitamos os cinco minutos finais, antes do parque fechar, para entrar numa das atrações mais antigas do parque, o ET Adventure :D
#gottalove Flash Gordon!
 Ambos parques são grandes e muito, muito bonitos mesmo. Infra ótima em todos os cantos, mesmo sob a chuva torrencial (juro!) que caía em Orlando naquele dia. E, ó, com chuva e tudo, e com a correria danada de um canto a outro que rola numa visita técnica, me diverti horrores (a culpa de ser o conjunto de parques do qual tenho menos fotos é da chuva mas é também do excesso de diversão rs). Um dia volto para brincar em todas as montanhas e simuladores :D
 SEA WORLD
O último dia de parques foi para conhecer dois dos parques mais famosos do grupo Sea World: o Sea World propriamente dito e o Discovery Cove. Já vou dizer logo de cara que o que mais amei dali foi a Manta, a montanha russa mais de-li-ci-o-sa que já experimentei - sensação de estar voando MESMO.
Passar a mão nas arraias, quem quer?
 No Sea World, além da Manta, fui ver também o filminho 3D/360degree Turtle Trek, o show de golfinhos e o show da Shamu, atrações que fazem sucesso entre as crianças (os grandinhos, me contaram, preferem mesmo é ficar nas atrações mais radicais no Busch Gardens, que não consegui conhecer, infelizmente). E fui conhecer as obras do Antarctica, a atração que eles inauguraram semana passada (não pudemos ver nada por dentro, mas amigos jornalistas que estiveram por lá na semana passada disseram que ficou um arraso). Só fiquei frustrada por não ter tido tempo de andar na Kraken, a outra big montanha russa do parque.
Minha preferida: Manta!!!




Show de golfinhos
A adorável passarela subterrânea
Funcionários trabalhando nos últimos ajustes do Antarctica
O show da "família Shamu"
Dali, fomos ao Discovery Cove para dar uma olhada no parque (é um all-inclusive como os Xel-ha e Xcaret de Cancun, que os brasileiros em geral adoram) e fazer as duas atividades mais procuradas no parque: a SeaVenture (uma caminhada bem simples debaixo d´agua) e o encontro com os golfinhos. Ali encontrei mais brasileiros que em qualquer outro dos parques que visitei agora.

Para quem está mais interessado nas atividades off-parks de Orlando, tem um monte de sugestões aqui. Para quem está procurando dicas de compras em Orlando, eis aí o assunto do próximo post.

Em tempo 1: Para quem quer se hospedar dentro dos parques da Disney, a darling Paula Bicudo, do Big Trip, tem usado e recomendado as promoções e pacotinhos desse site aqui.



Em tempo 2: apesar de eu ter feito dois parques por dia por causa do trabalho, não recomendo a visitação dessa maneira. Não mesmo. Sobretudo no caso da Disney, que os parques ficam distantes uns dos outros. O melhor mesmo, para quem quer curtir os brinquedos e a atmosfera, e até porque cada parque é todo um mundo em tamanho e atrações, é fazer um parque por dia. Fica a dica ;)